Eu não sou dona do meu corpo

E nem da minha alma

Não sou dona das minhas escolhas

Nem do meu destino

Sou apenas uma refém de um sistema que me aprisiona

Apenas mais um ventríloquo da sociedade que me pressiona

Tenho que estar bem pra aguentar mais um dia de exploração do meu corpo

Tenho que estar animada pra todo evento social que tiver a obrigação de ir

E sorrir, como se nada aqui dentro estivesse sangrando

Queria eu divagar o suficiente pra esquecer as mazelas da rotina

Onde a morbidez do corporativismo não se embrionasse em minhas vísceras

Queria que resiliência fosse verdade e não mais um mote para fortalecer o capitalismo

Como se fosse coerente incentivar as pessoas a se matarem para trabalhar

E morrerem trabalhando

--

--

comunicadora social, militante das liberdades emancipadoras, com muitas ideias apaixonadas para mudar o mundo e a si mesma. aqui vc encontra crônicas e emoções.

Love podcasts or audiobooks? Learn on the go with our new app.

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store
Angélica Yassue

Angélica Yassue

98 Followers

comunicadora social, militante das liberdades emancipadoras, com muitas ideias apaixonadas para mudar o mundo e a si mesma. aqui vc encontra crônicas e emoções.